A Escandinávia e o Japão parecem muito distantes geograficamente. Porém, ao observá-los mais atentamente, têm vários pontos em comum em termos de design.

Na verdade, a sobriedade e o minimalismo sempre foram a base da decoração japonesa e do estilo escandinavo. Os aspetos mais interessantes desta mistura de estilos são a harmonia entre os elementos contrastantes, entre a fria elegância japonesa e a refinada funcionalidade escandinava, a conjugação de cores opostas e a abordagem diferente no trabalho dos materiais.

Da união destas duas visões estéticas nasceu o termo Japandi, tendência já em voga há alguns anos e que se torna uma das mais populares em 2020.

Mais do que um estilo, a tendência Japandi é uma filosofia de vida baseada na paz, na harmonia, na beleza da simplicidade e na criação de espaços funcionais.

O resultado desta combinação de tendências criou uma atmosfera simultaneamente serena e minimalista, mas também quente e acolhedora.

Os materiais do estilo Japandi

O estilo japonês privilegia os materiais naturais, tais como madeira, pedra, fibras vegetais, bambu, algodão, porcelana e papel de arroz. O estilo escandinavo insere-se na linha pura da tradição artesanal, muito enraizada nos países nórdicos, a qual, embora tenha por base o trabalho dos materiais naturais, incluindo, principalmente, a madeira, não despreza a utilização de polímeros. Ao descobrir o estilo japonês e o conceito do Wabi Sabi, baseado na busca pela beleza nas imperfeições, o estilo escandinavo evoluiu para um modelo que privilegia uma mistura de madeiras naturais claras, frequentemente brutas, e de madeiras escuras, como a nogueira, polidas e tratadas com técnicas de polimento de tradição japonesa.

As porcelanas, omnipresentes na decoração japonesa, abandonam as superfícies lisas, populares na estética nórdica, para passarem a ser irregulares. Os tecidos naturais lisos, como o linho e o algodão, assumem um aspeto mais rústico.

A palete de cores do estilo Japandi

No que diz respeito às cores, os dois estilos têm bases distintas. O estilo escandinavo, na sua busca permanente pela luminosidade, privilegia o branco nos interiores, para os revestimentos e decorações. A exceção é, todavia, os pequenos toques de cores neutras, como o cinzento e os tons claros das madeiras. Pelo contrário, os japoneses usam uma paleta mais quente e viva, que exclui o branco, utiliza o preto e o vermelho para os envernizamentos, explora os tons neutros dos materiais naturais e não esquece os preciosos toques dourados.

Desta relação, nasceu uma paleta discreta caracterizada pela harmonia dos tons quentes e frios, nuances de claro e escuro, onde se inserem, numa base de cores terrosas, o preto e o cinzento, bem como toques de cores vivas, graças ao azul, verde e rosa, cuidadosamente dessaturados.

Como decorar com o verdadeiro estilo Japandi?

«Less is more» é a palavra de ordem para começar a decorar com o verdadeiro estilo Japandi. Poucos móveis, decorações refinadas… sem esquecer, contudo, o conforto. Efetivamente, se é verdade que os dois estilos são campeões, em todas as categorias do minimalismo e da sobriedade, o estilo de vida escandinavo, com a sua filosofia de vida «hygge», visa criar espaços acolhedores e confortáveis.

Privilegie os móveis baixos, como pequenas mesas, aparadores e sofás com pés muito baixos, como manda o estilo japonês, e com linhas direitas e formas simples, como determina o estilo escandinavo.

Pendure fotografias e gravuras nas paredes. Os temas que evocam a cultura do sol nascente, as paisagens, os ramos floridos, os peixes e as aves são altamente aconselhados. O objetivo é dar um ligeiro toque de cor às paredes.

Dê destaque às porcelanas, se possível artesanais. As jarras, artesanais, em cores naturais, adornadas ou não, são perfeitas para acolher os ramos de cerejeira em flor ou de bambu. Para a iluminação, os candeeiros perfeitos são aqueles inspirados nas lanternas orientais.

E porque não escolher uma peça icónica, como um dos candeeiros em papel de arroz da coleção Akai, criada há mais de 50 anos por Isamu Noguchi para a Vitra, e que inclui candeeiros de cabeceira, candeeiros suspensos e candeeiros de pé?

Por último, não devem faltar plantas verdes, que oferecem um toque de frescura e alegram um ambiente que, a longo prazo, pode tornar-se um pouco monótono. Escolha plantas tropicais de origem oriental, como as orquídeas, a bananeira oriental, a figueira-benjamim, a planta-jade ou árvore de jade. Para um toque de elegância inegável numa casa de estilo Japandi, é inconcebível não utilizar o produto emblemático da arte botânica japonesa: o bonsai.