Na natureza, o gato é um animal solitário cuja ocupação principal consiste em procurar alimento. Contudo, os gatos domésticos não têm de se preocupar com o que irão poder caçar para encher a tigela. Desta forma, a sua atividade fica consideravelmente reduzida. Por isso, cabe-nos a nós, humanos, encontrar algo para os distrair para preencher essa falta de exercício!

 

Na natureza, basta uma dezena de ratos por dia para satisfazer as necessidades de um gato. Imagine por uns instantes o tempo que passa a caçá-los! É muito tempo «perdido» para um gato doméstico que não tem, na verdade, necessidade de caçar para se alimentar. «No estado selvagem, a caça ocupa a maioria do tempo que o gato está acordado. Porém, em casa, na maior parte dos casos, o alimento surge como por magia na tigela, a intervalos regulares, e o gato passa muito pouco tempo à procura de alimento», informa-nos o Doutor Stéphane Tardif, veterinário em Neuilly sur Seine. «Em consequência, para melhorar o ambiente de um gato e torná-lo mais divertido, é necessário compensar esta falta de atividade através de outra atividade igualmente estimulante.»

 

Desenvolver o seu instinto de caçador

Existem várias soluções para isto. A primeira consiste em investir em tigelas «aumentadas» ou ainda em jogos que obriguem o seu gato a procurar alimento e ativar o cérebro para o encontrar. «Esta atividade, longe de ser uma limitação, ocupa-os, diverte-os e desenvolve a sua inteligência, obrigando-os a resolver pequenos problemas», afirma o Dr. Tardif. Mas também se pode, simplesmente, dividir a porção diária do seu gato em várias refeições pequenas durante o dia e esconder o alimento em diferentes zonas da casa. Desta forma, o gato será incitado a sair da sua cama para ir procurá-lo.

 

Jogos

Também pode oferecer fontes de divertimento ao seu gato através de jogos: existe um grande número de acessórios para testar com o seu gato, desde uma rolha presa numa porta com um cordel ao brinquedo de alta tecnologia de último grito, passando pela pena que nunca passa de moda. Contudo, «nem todos os gatos respondem da mesma forma ao jogo ou até aos diferentes tipos de brinquedos», avisa o Dr. Tardif. «Trata-se de uma aprendizagem: alguns gatos só reagem aos brinquedos se um humano o abanar para ele, outros são capazes de aprender a trazer objetos que lhes lançam, espontaneamente.» Deve experimentar vários brinquedos para determinar aquele que o seu gato prefere. E se receia a desordem na sua casa, não hesite em arrumar tudo numa caixa!

 

Um acesso ao exterior

Por fim, o meio mais eficaz de oferecer uma fonte de entretenimento inesgotável ao seu gato é, claro, oferecer-lhe um acesso ao exterior. De acordo com o Dr. Tardif, «nada substituirá os quilómetros que o gato pode fazer a percorrer o seu território», mas um acesso a uma varanda, terraço ou ainda um jardim poderá oferecer-lhe muito bem-estar. No entanto, a segurança do espaço exterior não deve ser negligenciada!